Coisas japonesas que todos deveríamos ter na nossa vida

Coisas japonesas que todos deveríamos ter na nossa vida

Coisas japonesas que todos deveríamos ter na nossa vida

O Japão é incrível e quanto a isso, não pode haver grande espaço para discussão. Há o idioma, a cultura, a comida, a história e tantas coisas mais! Há ainda todo o paradoxo japonês: tudo cheio de luzes, ruídos e neons e eles tão sérios. Um boom tecnológico e uma sociedade tão conservadora ao mesmo tempo.

Análises à parte, há ainda um sem fim de coisas japonesas que todos deveríamos ter na nossa vida. Seja, pela utilidade, seja porque nos fazem felizes ou simplesmente, porque sim. Cá vai a minha lista!

 

Sanitas japonesas

Não conheço NINGUÉM que fique indiferente às sanitas japonesas. Aquilo é um sem fim de botões: um aquece o lugar onde pomos o bumbum, outro simula uma descarga de água (para evitar ruídos de fezes mais violentas), há ainda os repuxos (para o bibi e para o traseiro) e há até umas com botões com música e onde se ouvem passarinhos.

Toalhitas para limpar as mãos

Seja num restaurante ou numa loja conveniência, se há comida envolvida, lá recebemos nós a bela da toalhita. Obviamente que todos poderíamos andar com umas toalhitas atrás, mas no Japão isso não faz falta. Elas são-nos oferecidas.

Tatami

Outra das coisas japonesas que todos deveríamos ter na nossa vida é, sem dúvida, o tatami. O tatami é uma espécie de tapete de palha entrelaçada, que se usa muito para cobrir o chão nas casas japoneses. Quase como uma esteira, mas que é feito de palha de arroz. No tatami só se anda descalço – ou morre um salmão japonês – e é… aconchegante, além de muito bonito esteticamente.

Onsen

O onsen são as termas japonesas e funcionam muitas vezes como banhos públicos, onde os visitantes podem entrar individualmente por um certo período de tempo ou todos juntos, mas sempre em pelota – homens para um lado e mulheres para o outro.

Antes de entrar nas águas, toma-se um banho normal e só depois se entra na água. Nos meios rurais, sobretudo, há várias casas com onsen dentro das próprias casas – um luxo. Quando fizemos o Caminho de Kumano Kodo, ficamos num hostel que tinhas três onsen – um deles, no terraço e a céu aberto. Agora imagine: andaram km e km à chuva, tomam banho e chapa num onsen, de água bem quente, a céu aberto, enquanto chove. Quero! Quero! Quero!

Kit Kat no Japão

Os japoneses são loucos no que toca ao consumo e adoooram marcas. O Kit Kat no Japão é uma verdadeira loucura, com sabores super variados! Ele é Kit Kat de uva, de melão, de soja, de feijões, de morango, de mação,… Ninguém os para.

Matcha Latte

Embora, o matcha parece já ter chegado ao Ocidente ainda é uma coisa bem japonesa. Basicamente, o matcha é um tipo chá verde em pó e que no Japão se bebe, como quem bebe café – pudera, aquilo está bem cafeínado. Uma vez bebi um de trago e parecia uma miúda de 5 anos depois de beber 1,5 L de Coca Cola. Nos meus quases 3 meses a viver no Japão, quase todos bebia um (ou dois) e, sim, agora tenho saudade!

A limpeza

Sem dúvida que o Japão é dos países mais limpinhos que já visitei. Podemos todos importar isto, por favor?

A pontualidade

E isto também!

A capacidade de dar resposta

Estávamos em Kobe à espera do comboio para Osaka! O drama e o horror: um minuto de atraso! Dois minutos! Como: três minutos? Estaria tudo louco. Ok, houve algum problema nada de comboio, teríamos de apanhar outro. Seria banal, não fosse “o outro” o comboio rápido, que custa três vezes mais! Já estava eu a maldizer a minha vida, quando quase me benzo ao ver o tamanho da fila para pedir o reembolso do bilhete – obviamente que descrente, o meu primeiro pensamento foi “pois sim, abelha, como se eles fossem dar o dinheiro de volta!”

Não foi preciso. Em menos de 5 minutos, tínhamos um bilhete na mão para o comboio rápido sem ter que pagar mais por isso. Eficiência acima de tudo.

Mais carinho pela natureza

Dizem que os japoneses nascem xintoístas e morrem budistas. A verdade é que há uma grande misturada entre estas duas práticas e mesmo em Tóquio ou em Osaka, ao lado de prédios megalomanos são comuns os pequenos templos. Isso e a preservação de florestas e várias zonas verdes, que são mantidas religiosamente e tratadas como verdadeiros espaços sagrados. Religião há parte, estes espaços são um verdadeiro deleite de paz e tranquilidade para qualquer um que os visite.

 

 

Leave a Reply

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

You may use these HTML tags and attributes:

<a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <s> <strike> <strong>